Cancro



O que é o Cancro?

O corpo humano é composto por milhões de células que unidas dão origem a tecidos, os quais formam órgãos e estes constituem sistemas.

Compreender o cancro passa por conhecer a célula. O nosso organismo tem mais de 200 tipos diferentes de células que têm funções distintas no funcionamento do corpo.

A constituição da célula

A constituição da célula
A célula é constituída essencialmente por núcleonucléolo, membrana plasmáticacitoplasma e organelos.

núcleo contém o DNA (ou ADN que significa ácido desoxirribonucleico), isto é, contém a nossa informação genética. 

nucléolo está relacionado com a reprodução da própria célula.

membrana plasmática que envolve a célula é como se fosse a sua cápsula protetora. Nesta membrana existem recetores sensíveis a determinadas moléculas e impermeáveis a outras, determinando desta forma o que entra e sai da célula.

citoplasma é o espaço intracelular, isto é, o espaço que está entre o núcleo e a membrana plasmática. É neste espaço que estão os organelos.

Os organelos são estruturas de pequenas dimensões existentes dentro da célula, como as mitocôndrias, responsáveis pela respiração celular, o retículo endoplasmático liso e rugoso, relacionado com a síntese de proteínas, entre outros.

A informação genética de cada célula funciona como se fosse um livro da história da mesma, contendo toda a informação sobre as funções da célula, que proteínas irá produzir e a que substâncias é sensível.

A reprodução da célula

A reprodução da célula
Além de todas as suas funções nos diversos sistemas do corpo, as células com que nascemos não são as mesmas com que morremos. As células vão-se reproduzindo ao longo da vida. No entanto, elas reproduzem-se segundo as necessidades do organismo e sempre de acordo com o que está programado no seu material genético.

A reprodução descontrolada das células

A reprodução descontrolada das células
O cancro é uma doença que se caracteriza pela reprodução descontrolada das células e têm um crescimento não regulado que invade e interfere com a normal função de tecidos e órgãos envolventes.

Mas se o material genético contém a informação para todas as funções e atuações de cada célula, o que acontece? É precisamente esse o problema, a medicina celular e molecular sabe hoje que o cancro resulta de alterações deficientes nos genes que se chamam mutações, estas mutações ocorrem nos genes responsáveis por controlar a reprodução celular.

Os genes que desencadeiam o cancro são designados de oncogenes ou protooncogenes, os quais possuem material que potencia a divisão celular e são bastante recetivos a fatores de crescimento.

Então, resumindo, o cancro resulta de um crescimento descontrolado de células anómalas num determinado local do corpo.

Muitas vezes é utilizado o termo tumor ou neoplasia, estas palavras significam crescimento de novo, quer em número, quer em função. Isto significa que as novas células, além de serem mais numerosas, têm funções diferentes das originais e que são, na maioria das vezes, prejudiciais. 


Este texto foi revisto e atualizado em outubro de 2014‏‏.
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+