Querer deixar de fumar



Querer deixar de fumar

Existem bastantes motivos para deixar de fumar! 

Converse com o seu médico sobre o assunto, fale sobre as suas principais dificuldades em deixar de fumar, de forma a que ele o possa ajudar e orientar.

Será importante identificar que tipo de fumador é:

  • Se é aditivo (aquele que fuma unicamente por dependência da nicotina).
  • Se é um fumador social (aquele que fuma apenas em eventos sociais ou convívios).
  • Se é fumador por prazer (obtém prazer no cigarro e associa este, geralmente, a horas específicas do dia, como após o almoço, por exemplo).
  • Pode optar-se por uma paragem gradual, no entanto, a experiência diz que o mais eficaz é marcar uma data que seja importante para si e deixar definitivamente.
  • Após o abandono do vício será mais provável conseguir acabar com ele quanto menos recaídas tiver. As recaídas são o principal entrave ao abandono do tabagismo. Ainda que seja apenas um cigarro ocasional, nos dias seguintes não volte a fumar, pois se o fizer aumenta consideravelmente o risco de recaída. Se tal acontecer, não deve esconder este facto do profissional de saúde, pois tal permite reforçar o acompanhamento e redirecionar o seu tratamento.

Deixar de fumar constitui um passo fundamental na melhoria da sua qualidade de vida e na prevenção do cancro.

Ainda que um determinado cancro não esteja diretamente relacionado com o tabaco, ele agrava o seu estado de saúde, contribui para a proliferação das células cancerígenas e retarda a ação dos tratamentos.

É um vício, por vezes, muito difícil de abandonar, por isso, é importante que peça ajuda, principalmente nesta fase em que há tanta informação nova a reter. Essa ajuda existe e pode ser bastante eficaz se existir força de vontade da sua parte.

Existem algumas dicas e algumas recomendações para o ajudar neste processo, mas lembre-se que é o principal interveniente e que nenhum profissional de saúde o fará por si.

 

Vantagens de ser ex-fumador 

Aqui tem alguns benefícios, para a sua saúde geral, em deixar de fumar:

  • Ao fim de 20 minutos a sua pressão arterial desce
  • Ao fim de 8 horas verifica-se uma diminuição do monóxido de carbono no ar expirado
  • Em 2 a 3 semanas existe uma melhoria na função cardíaca e respiratória
  • Dentro de 1 a 9 meses irá diminuir a tosse e o cansaço geral
  • Ao final de um ano já reduziu 50% o risco de doença coronária

No entanto, os estragos do hábito tabágico de forma prolongada são tão profundos que só ao final de 5 anos é que consegue reduzir para metade o risco de sofrer um acidente vascular cerebral (AVC), só ao final de 10 anos é que está reduzido o risco de cancro no pulmão ou outros cancros e, por último, só ao final de 15 anos sem fumar é que o risco de doença coronária se equipara ao risco de um não fumador.

 

Este texto foi revisto e atualizado em outubro de 2014‏‏.
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+