Depressão e Cancro



A depressão e o cancro

A depressão é uma perturbação psiquiátrica que causa sofrimento extremo e que necessita de tratamento adequado. O cancro e a dor crónica estão entre as 20 doenças mais associadas a processos depressivos. Estima-se que, cerca de 36% dos doentes com cancro sofram de depressão e este risco aumenta em doentes tratados apenas em ambulatório.

Deve estar atento(a) aos sinais e encará-los como uma fase natural da sua doença, procurando ajuda.

Os sinais de depressão podem variar de pessoa para pessoa, mas existem alguns sinais comuns como:

A incapacidade de pensar calmamente e

conversar sobre assuntos

 

A falta de vontade de se levantar de manhã

para realizar a sua rotina

 

Sono excessivo ou,

por outro lado, insónias

 

Falta de motivação

para os tratamentos

 

Crises de choro sem um motivo

que os desencadeie

 

 

Nem todos temos a mesma tendência para a depressão, mas é natural que ao passar por uma provação tão difícil como é ter um cancro esta surja. Ela pode surgir numa fase mais inicial com o choque do diagnóstico ou numa fase mais tardia, pelas dificuldades dos tratamentos, pela mudança nas rotinas, pelo medo da morte.

Não é raro que a depressão surja após o tratamento, isto pode causar alguma confusão aos familiares. A verdade é que as pessoas vão acumulando stresse e tensão durante a doença e quando sentem um alívio de pressão o corpo dá os sinais de exaustão psicológica. Além disso, nesta fase, é frequente surgirem questões de origem existencial, sobre o sentido da vida e sobre as suas relações. 

 

Mecanismos da depressão

A depressão, na sequência de uma doença física, envolve:

Mecanismos biológicos

As substâncias químicas produzidas pelo cérebro face a emoções negativas agravam o estado depressivo, tornam mais frágil o sistema imunológico tornando-nos mais vulneráveis a doenças e infeções.

Mecanismos psicológicos

Uma visão negativa e deturpada da autoestima e autoeficácia, uma perda do sentido de identidade ou do seu papel no seio familiar.

Mecanismos sociais

O isolamento, o abandono do trabalho ou a vergonha fazem, muitas vezes, com que as pessoas se descontextualizem do meio social em que vivem. 

 

Pode ser difícil diagnosticar uma depressão num doente oncológico porque muitos dos sintomas como o cansaço, as dores de cabeça, as dores musculares e nas costas podem ser devido à doença física. Mas existem outros sintomas aos quais deve dar atenção, como: desmotivação para os tratamentos, tristeza profunda, vontade de se isolar, não querer falar com ninguém, pessimismo.  

Não tem que passar por isto sozinho, além de profissionais competentes que o podem ajudar, não exclua os seus familiares e amigos deste processo. Eles querem ajudar e vão sentir-se excluídos se não permitir que se integrem nesta fase da sua vida. Nós não vivemos sozinhos por algum motivo!