Estádios do Cancro



Estádios do Cancro

Após o diagnóstico de cancro é importante compreendê-lo, saber qual o seu estado de desenvolvimento e de que forma compromete, ou não, os restantes órgãos do corpo.

Para isso, é necessário recorrer a meios complementares de diagnóstico, isto é, exames que ajudem a esclarecer a extensão do cancro.

Os exames a realizar estão relacionados com o tipo de cancro, pode ser um exame anatomopatológico, tomografia computorizada ou biópsia da medula óssea, no caso dos cancros sanguíneos.

O principal sistema de classificação dos diferentes tipos de cancros é o designado sistema TNM.

  • O T refere-se ao tamanho do tumor
  • O N refere-se à sua disseminação para gânglios linfáticos próximos do local originário do tumor
  • O M refere-se à existência de metástases, ou seja, extensões do tumor em localizações distantes do tecido onde se originou

A tabela seguinte apresenta de forma simples o significado desta nomenclatura, cada letra é seguida de um X ou um número tendo estes significados:

Classificação

Descrição

TX

Não é possível fazer uma avaliação

T0

Não há evidência de tumor

Tis

Tumor localizado

T1, T2, T2,T4

Escala do tamanho do tumor

Invasão de gânglios linfáticos

 

NX

Não é possível fazer avaliação dos gânglios linfáticos

N0

Ausência de metástases nos gânglios linfáticos

N1, N2, N2,N4

Escala de comprometimento dos gânglios linfáticos

Metástases à distância

 

MX

Não é possível avaliar a presença de metástases

M0

Ausência de metástases à distância

M1

Metástases à distância


Além da classificação TNM o cancro pode ser classificado em estádios que têm mais em conta o estado de evolução do tumor de uma forma mais geral.

Estádio 0 é uma fase muito inicial em que o cancro é extremamente localizado e isolado. É a melhor fase para ser feito o diagnóstico já que a cura definitiva e a recuperação total são altamente prováveis. Geralmente, resolvem-se com cirurgia de remoção ou terapêutica de radiação.
Estádio I, II, IIIa esta é já uma fase regional, o tumor estende-se para fora do órgão de origem. Na classificação anterior, na letra M, apresenta já desenvolvimento para gânglios linfáticos. É muitas vezes curável, no entanto exige terapêutica mais agressiva quer antes, quer depois do tratamento cirúrgico, no caso de existir.
Estádios IIIb e IIIc trata-se de uma fase em que há uma maior extensão do tumor, este já ultrapassou vários tecidos do corpo e tem grandes probabilidades de continuar a disseminar-se à distância, ou seja, a formar metástases.
Estádio IV é já uma fase bastante avançada da doença. Trata-se já de um tumor disseminado, isto é, com metástases em várias localizações. Esta fase do cancro apresenta hipóteses de cura extremamente baixas. Nestes casos, o tratamento tem como principal objetivo manter alguma qualidade de vida e não a cura. 

Ref. 1 e 3

Este texto foi revisto e atualizado em outubro de 2014‏‏.
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+