Fatores de risco



Fatores de risco do Cancro do Fígado

A presença de um fator de risco ou até de vários não significa que a pessoa irá desenvolver cancro, significa apenas que essa circunstância aumenta o risco de ter cancro quando comparado com uma pessoa sem esse mesmo fator de risco.

A cirrose hepática
A cirrose hepática é um processo de inflamação crónica do fígado que transforma o tecido normal em tecido cicatrizado e, por isso, não funcional.

A cirrose é o principal fator de risco para o desenvolvimento de cancro do fígado. Assim, as doenças que causam cirrose são um fator de risco para cancro do fígado.

As principais causas de cirrose são:

- Infeção crónica causada pelo vírus da Hepatite B (responsável por 50% dos casos de cancro do fígado) ou C (responsável por 25% dos casos de cancro do fígado). O risco de desenvolver cancro está aumentado em 100 e 17 vezes na hepatite B e C, respetivamente. A presença das duas infeções aumenta ainda mais o risco de cirrose e, consequentemente, de cancro do fígado.

No caso da hepatite B, pode desenvolver-se cancro do fígado sem que se desenvolva cirrose hepática prévia.

Quanto a este fator de risco é importante referir que a vacinação preventiva da hepatite B, bem como a educação relativamente aos comportamentos de risco para a hepatite C, podem diminuir consideravelmente o número de casos, reduzindo também a incidência de cancro do fígado.

- O alcoolismo crónico pode ser responsável pelo desenvolvimento de cirrose. Nos países com baixa incidência de hepatite B, o alcoolismo apresenta-se como a principal causa de cancro do fígado.

- A esteatose hepática não alcoólica (acumulação de gordura nas células do fígado) está relacionada com a obesidade e a diabetes. Esta doença apresenta características semelhantes à doença do fígado causada pelo consumo excessivo de álcool.

- As doenças hereditárias do fígado, como a hemocromatose (doença que provoca acumulação excessiva de ferro) ou a deficiência de alfa-1 antitripsina (doença que provoca a acumulação excessiva de uma proteína chamada alfa-1 antitripsina) também podem levar ao desenvolvimento de cirrose, aumentando o risco de cancro do fígado.

O sexo masculino

O cancro do fígado tem uma maior incidência no sexo masculino.

Exposição a agentes tóxicos
A exposição prolongada a determinadas substâncias tóxicas como hormonas esteróides (suplementos frequentemente utilizados por desportistas, com o objetivo de aumentar a massa muscular) aumentam o risco de desenvolver adenoma hepatocelular (tumor benigno do fígado) que pode, mais tarde, evoluir para carcinoma hepatocelular (tumor maligno do fígado).

Ingestão de alimentos contaminados com aflatoxina
A aflatoxina é uma substância tóxica produzida por um fungo que pode ser encontrado em alguns alimentos como o milho ou arroz. Este tipo de fungo cresce em ambientes quentes e húmidos e não é muito frequente nos países europeus, uma vez que se forem respeitadas todas as normas de higiene, não se criam condições ao seu desenvolvimento.

As lesões provocadas no fígado ocorrem quando são ingeridas grandes quantidades de aflatoxina.

 

ref. (57) (58)

Este texto foi revisto e atualizado em outubro de 2014‏‏.
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+