Fatores de Risco



Fatores de Risco do cancro da mama

Não são conhecidas as causas exatas do cancro da mama. No entanto, foram identificados alguns fatores de risco.
Importa referir que ter um ou mais fatores de risco não determina o desenvolvimento de cancro, significa apenas que tem maior probabilidade de desenvolver a doença, quando comparado com uma pessoa sem os mesmos fatores de risco.

  • Idade – a maior parte dos casos de cancro da mama são diagnosticados depois dos 50 anos

  • Alterações genéticas – as alterações em determinados genes, transmitidas pelos pais, estão na origem de cerca de 5 a 10% dos casos de cancro da mama

Alterações genéticas

  • História familiar – ter casos de cancro de mama na família, particularmente em familiares de primeiro grau, em idades jovens ou no sexo masculino, pode constituir um fator de risco.

  • História pessoal de cancro da mama – pessoas que já tiveram cancro da mama têm maior risco de voltar a ter cancro de mama, na mesma mama ou na mama contralateral

  • Exposição prolongada ao estrogénio – o estrogénio é uma hormona libertada pelos ovários, responsável pela ovulação e desenvolvimento das características femininas. Numa grande parte dos casos, o cancro da mama necessita de estrogénio para se desenvolver, e quanto maior e mais prolongada for a exposição a esta hormona, maior é o risco de desenvolver a doença:

    - Mulheres com a primeira menstruação (menarca) precoce (antes dos 12) e menopausa tardia (após 55 anos)

    - Mulheres que não tiveram filhos ou que foram mães depois dos 30 anos têm maior risco, uma vez que a sua exposição ao estrogénio foi superior comparativamente com mulheres que tiveram filhos
    - Utilização da pilula contracetiva, particularmente antes da primeira gravidez
    - Utilização de terapêutica hormonal de substituição após a menopausa, medicação usada para equilibrar o nível de hormonas em falta após a menopausa.

  • Alguns tipos de tumores benignos como a hiperplasia lobular (aumento do tamanho dos lóbulos) e hiperplasia ductal atípica (aumento do tamanho dos ductos) podem aumentar o risco de desenvolver cancro da mama.

  • Tratamento com radioterapia na zona do peito durante a infância ou adolescência (utilizada para tratamento de linfomas), aumenta o risco de desenvolver cancro da mama na idade adulta

Tratamento com radioterapia

  • O excesso de peso e obesidade aumentam o risco de desenvolvimento de cancro da mama porque o tecido gordo (tecido adiposo) é uma das fontes de estrogénio. Este risco é maior na fase pós menopausa, já que em vez dos ovários, o tecido adiposo passa a ser a principal fonte de estrogénio

Excesso de peso e obesidade

  • O consumo de álcool e de tabaco está associado ao desenvolvimento de vários cancros, incluindo o cancro da mama

 Consumo de tabaco e de alcool

De todos os fatores enumerados, os que mais influência têm no desenvolvimento do cancro da mama são a idade, a história pessoal e familiar. Uma vez que estes são fatores de risco que não pode controlar, a melhor forma de prevenção é a auto vigilância e o rastreio com exames de imagem. 

ref. (2) (16) (17)

Este texto foi revisto e atualizado em fevereiro de 2015.
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+