Tratamento



Tratamento do melanoma

O tratamento, para qualquer tipo de cancro ou mesmo outras doenças, é sempre individualizado e decidido pela equipa de profissionais de saúde. Isto, porque a decisão de um tratamento tem em conta uma série de fatores individuais como a idade, a história clínica, a presença de outras doenças ou agravantes, a tolerância aos tratamentos, entre outros.

No entanto, os tratamentos mais frequentes para o melanoma incluem a cirurgia, o tratamento com medicamentos (quimioterapia) e o tratamento com radiação (radioterapia).

Cirurgia

Cirurgia
A cirurgia é a primeira opção de tratamento no melanoma, em estádios iniciais.

Dois dos procedimentos cirúrgicos mais utilizados são:

A excisão ampla do tumor primário – consiste na remoção total do tumor com remoção de tecido normal em volta do tumor. A extensão da área removida depende de fatores relacionados, essencialmente, com o tamanho do tumor e a sua localização. É um procedimento realizado sob anestesia local. Como efeitos secundários pode sentir dor e um pequeno inchaço, que não deverão durar mais do que duas semanas, e uma cicatriz. Por vezes, a primeira abordagem cirúrgica pode não ser suficiente para remover todo o tumor com margens de segurança, podendo ser necessária nova cirurgia para alargamento de margens de segurança (sem tumor).

Disseção de gânglios linfáticos – consiste na remoção de alguma parte ou da totalidade dos gânglios linfáticos mais próximos do tumor, quando no procedimento de deteção do gânglio sentinela este se encontra afetado pela doença. Este procedimento é realizado sob anestesia geral e pode ter alguns efeitos secundários a curto ou médio/longo prazo, como limitação nos movimentos do membro mais próximo (braço/perna) e aparecimento de linfedema aquando de esforços envolvendo a região ganglionar abordada (inchaço provocado por dificuldade na drenagem da linfa).

Na maioria dos casos, os dois tipos de cirurgia, ao tumor primário e abordagem aos gânglios linfáticos, são realizados conjuntamente.

Tratamento cirurgico

Tratamentos com medicamentos

Tratamentos com medicamentos
O tratamento com medicamentos pode ser realizado de duas formas:

  • - Sistémico – aplicação através da veia (intravenoso) e percorre todo o corpo. Tem como objetivo combater o tumor que se apresenta em estádios mais avançados, nomeadamente com expansão para locais à distância do tumor primário. Como atinge todo o organismo, este tratamento acaba por provocar destruição de algumas células sãs.
  • - Local – Aplicação apenas na região do tumor, tendo como principal objetivo combater o crescimento local do tumor.

Os efeitos secundários do tratamento com medicamentos dependem do fármaco utilizado, da dose, da via de administração, do número de sessões de tratamento e da sensibilidade do organismo de cada doente a esse medicamento.

Os efeitos secundários mais comuns são:

  • - Diminuição das defesas contra as infeções – por diminuição do valor dos glóbulos brancos (células que nos defendem contra os microorganismos infeciosos) existe aumento da probabilidade de desenvolver infeção, que se traduz, na maioria das vezes, pelo surgimento de febre.
  • - Sangramento
  • - Náuseas e vómitos
  • - Perda de apetite
  • - Cansaço
  • - Aparecimento de feridas na boca
  • - Queda de pelo e cabelo

Tratamento com medicamentos - Quimioterapia

Tratamento com radiação

Tratamento com radiação
Nas fases iniciais do melanoma, a radioterapia não é muito utilizada, contudo, pode ser útil após a cirurgia com o objetivo de eliminar algumas células cancerígenas que possam ter permanecido no local do tumor.

Nas fases mais avançadas, pode ser utilizada no tratamento de sintomas/sinais provocados pelas metástases (exemplo: cérebro, osso).

A radioterapia pode causar alguns efeitos secundários e a gravidade destes depende da dose de radiação e do tempo de exposição ao tratamento, englobando apenas a área do corpo onde incide a radiação. Geralmente, são efeitos temporários que desaparecem após a interrupção da radiação.

Os efeitos mais comuns na área onde incide a radiação são:

  • - Inchaço
  • - Dores
  • - Sensação de peso
  • - Queda de cabelo/pelo
  • - Alteração na pele com aspeto semelhante a queimadura solar
  • - Possibilidade de ocorrência de segundo cancro (a longo prazo)

Tratamento com radiação - Radioterapia

Imunoterapia

Imunoterapia
A imunoterapia é um tratamento que pode ser utilizado em pessoas com melanoma.

O objetivo deste tratamento é aumentar a atividade do sistema imunitário, permitindo auxiliar na destruição de células cancerígenas.

Este tratamento pode ser feito após a cirurgia, como um complemento ou, em alguns casos, pode ser utilizado como tratamento primário em melanomas mais avançados que não podem ser removidos por cirurgia.

No que diz respeito aos efeitos secundários, estes dependem do medicamento utilizado e da dosagem, os mais frequentes incluem:

  • - Febre
  • - Calafrios
  • - Cansaço
  • - Diarreia
  • - Queda de pressão arterial
  • - Dores no corpo
  • - Feridas na pele (erupção cutânea) e/ou comichão
  • - Alterações cardíacas
  • - Alterações no fígado
  • - Acumulação de líquidos que podem causar inchaço

Imunoterapia

Existem formas de minimizar os efeitos indesejáveis dos tratamentos.

  • Utilização de meia elástica para prevenir inchaço das pernas e pés (edema)
  • Medicamentos para alívio das dores
  • Medicamentos para alívio das náuseas e vómitos

O exercício físico pode ser um bom aliado no combate da fadiga.

Tratamento - Geral

ref. (59)(60)

Este texto foi revisto e atualizado em dezembro de 2014‏‏
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em 
www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+