Ovário



Cancro do Ovário

Os ovários são dois órgãos que fazem parte do sistema reprodutor feminino. Medem aproximadamente 2 a 3,5 cm de comprimento e 1 a 1,5 cm de largura.

O peritoneu é o nome dado a uma membrana que reveste vários órgãos da cavidade abdominal e pelve, o peritoneu que recobre a superfície do ovário chama-se epitélio ovárico.

É nos ovários que se dá a produção dos óvulos, processo ao qual se chama oogénese.

O cancro do ovário é o nono cancro mais comum nas mulheres e o quinto na lista de cancros mais mortais. O risco de contrair cancro do ovário é de 1 em 71 mulheres e o risco de morte é de 1 em 95 casos.

 

A taxa de sobrevivência a 5 anos tem verificado um aumento significativo a nível europeu, de 20% em 1975 para 38,9% em 2006, bem como a taxa de sobrevivência a 10 anos que passou de 20% em 1971-1975 para 33,3% em 1996-2000. Estes valores devem-se essencialmente à evolução dos métodos de diagnóstico, que permitem a deteção em fases cada vez mais precoces, e a disponibilidade de tratamentos cada vez mais eficazes.

Quando analisamos as taxas de sobrevivência em função da idade verificamos que estas são significativamente superiores em mulheres mais jovens (15-39 anos).

O diagnóstico precoce e correto é um dos principais determinantes para o sucesso. Dessa forma, torna-se importante alertar para a doença e apostar na prevenção.

 

Os tumores epiteliais do ovário são tumores constituídos por um ou mais tipos de epitélio. Os epitélios são camadas de tecidos que se encontram em todos as partes do corpo. No entanto, as características de cada epitélio dependem do local de onde se originam.
Os tumores epiteliais do ovário podem ser classificados segundo as características das suas células.

I Tumores serosos
II Tumores mucinosos
III Tumores endometrióides

IV

Tumores das células claras
V Tumores de Brenner
VI Tumores mistos
VII Tumores indiferenciados
VIII Tumores não classificados 

Os tumores serosos do ovário são os mais frequentes. Geralmente, são constituídos por estruturas sólidas e quísticas. As células epiteliais assemelham-se, em graus variáveis, com o epitélio das trompas de Falópio.

Os tumores mucinosos não são tão frequentes. São, na maioria dos casos, diagnosticados em fases iniciais. São tumores com nódulos e zonas sólidas, tendo tendência para atingir dimensões superiores às dos tumores serosos.

No que diz respeito aos tumores endometrióides, tipicamente são quistos com áreas sólidas e esses quistos encontram-se preenchidos de fluido.

Os tumores das células claras são considerados, por alguns autores, um subtipo do tumor endometrióide. São, geralmente, quistos com um ou mais nódulos com áreas hemorrágicas (presença de sangue) ou com tecido morto.

Uma situação relativamente comum no ovário é o aparecimento de quistos. Os quistos são benignos, na sua grande maioria, e desaparecem com o tempo. Quando eles aumentam o seu tamanho em demasia e não desaparecem são aconselhados exames mais específicos. Os quistos podem aparecer na superfície ou no interior do ovário e podem ser sólidos ou líquidos.

ref. (48) (49)

Este texto foi revisto e atualizado em outubro de 2014‏‏.
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+