Diagnóstico



Cancro do Ovário - Diagnóstico

O diagnóstico do cancro do ovário não é imediato e também nem sempre é fácil de fazer.

Os exames que fazem parte de uma avaliação dos ovários são:

  • exame físico deve estar presente em qualquer consulta de rotina ou na suspeita de qualquer problema. Neste caso, o exame físico deve incluir a palpação do abdómen (para pesquisa de alguma massa anormal ou de líquido na cavidade abdominal (ascite)).

  • exame pélvico também deve ser feito por rotina. Neste exame o médico fará a palpação dos ovários e dos órgãos próximos para verificar se existem nódulos ou alterações de tamanho ou formato. 

  • ecografia pélvica é transvaginal, quer isto dizer que a sonda é introduzida na vagina permitindo ver várias estruturas como o útero, os ovários e as trompas de Falópio. A ecografia pélvica deve ser feita por rotina e é o melhor método para detetar precocemente qualquer anomalia. 

  • Quando há suspeita de cancro do ovário podem ser pedidas análises sanguíneas, estas servem para avaliar o nível de determinadas substâncias no sangue. Uma dessas substâncias é o CA-125. Esta substância está presente na superfície das células cancerígenas do ovário, mas não só. Ter esta substância aumentada não é suficiente para fazer o diagnóstico.

Esta substância faz parte de um grupo de substâncias que se designam como marcadores tumorais. Eles podem ser proteínas, hormonas, enzimas ou outros componentes que são produzidos por células malignas.

Por isso, é natural que ouça falar deste tipo de substâncias dentro dos vários tipos de cancro. No caso do cancro do ovário também pode ler ou ouvir os seguintes nomes: CEA, CDX2, CA 72-4, CA 19-3, AFP, beta-hCG e HE4, todos eles são marcadores tumorais.

Ainda no que diz respeito ao CA 125 é recomendado que ele seja analisado em todas as mulheres com suspeita de cancro do ovário. Nas mulheres com menos de 40 anos e suspeitas de cancro do ovário devem também ser analisados os níveis de AFP (alfa-fenoprotéina) e beta-hCG (beta gonadotrofina coriónica humana) que são outros marcadores tumorais.

  • biópsia consiste na recolha de tecidos ou líquido para pesquisa de células cancerígenas. A biópsia é recomendada quando o médico entende ser necessária após análise da ecografia pélvica e análises sanguíneas. No entanto, em muitos casos ela é feita apenas após a cirurgia. Noutros casos é feita por laparoscopia, onde é introduzido um tubo fino, com iluminação na sua extremidade, através de uma pequena incisão na barriga. 

As células recolhidas serão então analisadas em laboratório. 

ref. (48) (49)

Este texto foi revisto e atualizado em outubro de 2014‏‏.
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+