Pâncreas



Cancro do pâncreas

O cancro do pâncreas é o 7º mais comum na Europa. É já a 5ª causa de morte relacionada com cancro, sendo responsável por 70.000 mortes por ano e prevê-se que, brevemente, passe para a 4ª causa de morte por cancro, em ambos os sexos.

Nos homens, a taxa de incidência média anual europeia é de 11,6 casos por 100.000 indivíduos, com variações de 4,7 no Chipre e 17,2 na Hungria. No caso das mulheres a mesma taxa é de 8,1 casos por 100.000 indivíduos, também com variações de 2,1 no Chipre e de 11,4 na Finlândia.

Taxa de incidência média anual Europeia do Cancro do Pâncreas

A taxa de mortalidade Europeia ronda os 35.000 casos por ano. A incidência tende a aumentar com a idade e a grande maioria dos casos são diagnosticados após os 65 anos.

O prognóstico deste tipo de cancro é ainda bastante delicado. O estudo EUROCARE 4 aponta que a taxa de sobrevivência a 1 ano varia entre 11% em Malta e 28,3% na Bélgica. A elevada taxa de mortalidade é justificada, não só pela agressividade do cancro, mas também pelo diagnóstico tardio, uma vez que, os sintomas surgem numa fase avançada e nem sempre são sugestivos.

Taxa de sobrevivência a um ano de cancro de pâncreas

A maioria dos cancros do pâncreas classificam-se dentro do tipo ductal. Afeta as células dos ductos pancreáticos, correspondendo a mais de 80% dos casos. Os outros tipos de cancro do pâncreas, menos comuns, podem incluir o carcinoma de células acinares ou os tumores neuroendócrinos.

Tipos de Cancro do Pâncreas

Os tumores do pâncreas podem afetar a totalidade do órgão ou apenas uma parte, como por exemplo a cabeça.

Como em todas as doenças oncológicas, o cancro do pâncreas é classificado segundo o seu estádio de desenvolvimento. Atualmente, pode classificar-se o cancro do pâncreas em sete estádios, consoante a sua localização, envolvimento de nódulos linfáticos e a presença de metástases (formação de uma nova lesão cancerígena noutro local que não o da lesão inicial). Os estádios do cancro são importantes para uma orientação do tratamento.

Estádio

T – Localização

N – envolvimento dos gânglios linfáticos

M - Metástases

Tis – tumor localizado

N0 – Sem metástases nos gânglios linfáticos regionais

M0 – Sem metástases noutros órgãos

IA

T1 – Tumor limitado ao pâncreas com dimensão inferior ou igual a 2 cm

N0 – Sem metástases nos gânglios linfáticos regionais

M0 – Sem metástases noutros órgãos

IB

T2 - Tumor limitado ao pâncreas com dimensão superior a 2 cm

N0 – Sem metástases nos gânglios linfáticos regionais

M0 – Sem metástases noutros órgãos

IIA

T3 – Tumor estende-se além do pâncreas mas não envolve o eixo celíaco nem artéria mesentérica superior

N0 – Sem metástases nos gânglios linfáticos regionais

M0 – Sem metástases noutros órgãos

IIB

T1 - Tumor limitado ao pâncreas com dimensão inferior ou igual a 2 cm

N1 – Metástases nos gânglios linfáticos regionais

M0 – Sem metástases noutros órgãos

 

T2 - - Tumor limitado ao pâncreas com dimensão superior a 2 cm

N1 – Metástases nos gânglios linfáticos regionais

 

 

T3 - Tumor estende-se além do pâncreas mas não envolve o eixo celíaco nem artéria mesentérica superior

N1 – Metástases nos gânglios linfáticos regionais

 

II

T4 – Tumor que envolve o pâncreas, o eixo celíaco ou a artéria mesentérica superior

N0, N1 ou Nx (os gânglios linfáticos não podem ser avaliados)

M0 – Sem metástases noutros órgãos

IV

Qualquer T dos anteriores

N0, N1 ou Nx (os gânglios linfáticos não podem ser avaliados)

M1 – Com metástases noutros órgãos

ref. (55)

Este texto foi revisto e atualizado em outubro de 2014‏‏
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em 
www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+