Fatores de risco



Fatores de Risco do Cancro do Pâncreas

Atualmente, não se conhecem exatamente as causas do cancro do pâncreas. No entanto, como em todas as doenças existem fatores de risco. É importante reforçar que a presença de um fator de risco ou até de vários não significa que a pessoa vá desenvolver cancro, significa apenas que determinada circunstância aumenta o risco de ter cancro quando comparado com uma pessoa sem esse fator de risco.

Na verdade, a maior parte das pessoas com fatores de risco nunca chega a desenvolver cancro. Mas é sempre importante que façam uma vigilância mais cuidada comparativamente à restante população.

Os fatores de risco para o cancro do pâncreas são:

  • Idade superior a 60 anos – a maioria dos tumores do pâncreas é diagnosticada após esta idade.

Idade Superior a 60 anos

 

  • Tabagismo – o tabaco é um fator de risco para praticamente todos os tipos de cancro, sendo que o cancro do pâncreas não é exceção. Um fumador tem 2 a 3 vezes mais probabilidades de sofrer de cancro de pâncreas do que um não fumador.

Tabagismo

 

  • Diabetes – a diabetes exige um esforço acrescido do pâncreas, por isso, as pessoas com diabetes têm maior probabilidade de sofrer de cancro do pâncreas comparativamente com pessoas sem diabetes.

Diabetes

 

  • Género – o cancro do pâncreas tem maior incidência no homem do que na mulher.

Género

 

 

 

  • Raça afro-americana – estes indivíduos também apresentam maior risco comparativamente com asiáticos, hispânicos ou caucasianos.

Raça afro-americana

 

 

  • Antecedentes familiares – este é possivelmente um dos maiores fatores de risco, a probabilidade de desenvolver esta doença aumenta cerca de 3 vezes quando existem familiares diretos, como mãe, pai ou irmãos com cancro do pâncreas.

Antecedentes Familiares

 

 

  • Pancreatite crónica – pessoas que sofrem de inflamação crónica do pâncreas também têm maior probabilidade de desenvolver cancro do pâncreas.

Pancreatite crónica

 

 

  • A alimentação – alguns estudos referem que uma alimentação rica em gorduras prejudiciais também está associada a um aumento do risco de cancro do pâncreas.

 

 Alimentação

 

 

  • A cirrose no fígado – a cirrose é uma lesão no fígado que pode ter como causas, por exemplo, a hepatite ou o consumo de álcool exagerado, e está associada a um aumento no risco de cancro do pâncreas.

Cirrose no fígado

 

  • Exposição profissional a agentes tóxicos – a exposição, ao longo de vários anos, a pesticidas e alguns produtos químicos também parece aumentar o risco de cancro do pâncreas, comparativamente a pessoas que nunca estiveram sujeitas a qualquer exposição.

Exposição a agentes tóxicos

 

Um ponto importante a referir quando falamos de cancro do pâncreas é o fator genético. Algumas alterações genéticas estão associadas a um aumento do risco, por exemplo, alterações nos genes que causam pancreatites hereditárias. Mais de 80% dos cancros do pâncreas, quando estudados, apresentam alterações nos genes G12V e/ou G12D. Conjuntamente, mais de 90% também apresentam alterações (anomalias ou défices) no gene CDKN2.

As alterações genéticas são aquilo a que chamamos fatores de risco não modificáveis, isto porque, ao contrário da alimentação e do tabagismo, não podemos fazer nada para os modificar a não ser a vigilância.

ref. (55)

Este texto foi revisto e atualizado em outubro de 2014‏‏
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em 
www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+