Quimioterapia



Quimioterapia

A quimioterapia consiste na terapêutica com medicamentos, estes medicamentos têm como objetivo matar as células cancerígenas.

Os fármacos utilizados na quimioterapia são cada vez mais seletivos, quer isto dizer que, eles atuam seletivamente nas células cancerígenas. No entanto, esta seletividade ainda não é perfeita, por isso, estes medicamentos acabam por afetar também as células sãs. Por esse motivo surgem alguns efeitos como a queda de pelo e cabelo, enfraquecimento de pele e unhas, náuseas e vómitos e a depressão das defesas do organismo.

Os medicamentos utilizados na quimioterapia chamam-se citostáticos, este nome significa paragem do crescimento celular.

O objetivo de cada medicamento depende do tipo de cancro que estamos a tratar, mas, de uma forma geral, eles visam:

  • Diminuir o crescimento do tumor
  • Destruir as células malignas, quer as localizadas, quer as que se possam ter deslocado para outras regiões do corpo
  • Aliviar os sintomas causados pelo crescimento do tumor, como dor devido à compressão que o tumor exerce sobre órgãos próximos
  • Melhorar a qualidade de vida

O número de sessões e o tempo das mesmas depende do tipo de tumor e da forma como cada organismo reage à terapia. Os ciclos de quimioterapia são geralmente interrompidos por períodos de pausa, estas pausas têm como objetivo permitir ao organismo a produção de células novas que melhoram o sistema imunitário reforçando as defesas do organismo.

A forma de administração da quimioterapia é, na maioria dos casos, endovenosa, isto é, através das veias. Embora não seja muito frequente, pela agressividade que causa ao sistema digestivo, também pode ser administrada através de comprimidos.  

Quando o cancro afeta o sistema urinário, a quimioterapia é administrada pela via intravesical. Esta via consiste na introdução de uma sonda na uretra, que é o canal que permite a saída de urina da bexiga para o exterior, pela qual é administrada a quimioterapia.

 

A Alimentação durante a quimioterapia

 
Alimentação durante a quimioterapia
As alterações na alimentação e no apetite variam bastante entre indivíduos, nem todos as pessoas que fazem tratamento de quimioterapia têm enjoos ou falta de apetite. Durante o tratamento é importante que faça uma alimentação saudável e equilibrada, isso ajudará a reforçar as suas defesas que ficam deprimidas devido ao tratamento. Se sentir enjoos perante certos tipos de alimentos, procure outros que os substituam em termos nutricionais. Se lhe for custoso comer dentro dos horários habituais, tente alimentar-se em horários alternativos.

Pode ler mais sobre alimentação em Cancro e nutrição

 

Os efeitos indesejáveis da quimioterapia

 Os efeitos indesejáveis da Quimioterapia
Os medicamentos utilizados no tratamento não são capazes de reconhecer apenas as células cancerígenas e destruir exclusivamente essas, por isso, algumas células saudáveis são destruídas também. Além disso, tratam-se de medicamentos agressivos para o organismo. Por estes motivos, frequentemente, a quimioterapia causa efeitos secundários.

  • Náuseas e vómitos – são dos efeitos mais frequentes. No entanto, será administrada medicação para ajudar neste sentido. Para diminuir estes efeitos, além da medicação, pode optar por alimentos secos, como o pão ou tostas e alimentos frios que têm sabor menos acentuado.
  • Queda de cabelo (alopécia) – a queda de pelo e cabelo é temporária, quando parar os tratamentos o seu cabelo voltará a crescer, e, na maioria das vezes, mais forte. Para que a queda do cabelo não seja tão sentida por si, pode optar por cortar o cabelo curto para se ir adaptando. Outros conselhos a ter em conta são: não usar secador ou usar a uma temperatura baixa; não pintar o cabelo e pentear-se com escovas macias e pouco agressivas.
  • Diarreia e prisão de ventre (obstipação) – alguns medicamento utilizados na quimioterapia alteram o equilíbrio do intestino causando problemas como diarreia ou prisão de ventre (obstipação). É necessário ter muita atenção a períodos prolongados de diarreia, uma vez que pode levar a desidratação. Para melhorar o funcionamento do seu intestino deve beber líquidos, de preferência água; fazer uma dieta rica em fibras; evitar o leite, café, bebidas com cafeína.
  • A infeção – a quimioterapia é responsável pela diminuição das defesas do organismo, esta diminuição acontece essencialmente devido à redução de glóbulos brancos. Assim, o organismo fica mais suscetível a infeções. Para se proteger contra infeções deve ter cuidados como uma boa higiene das mãos, lavagem dos dentes após as refeições com uma escova macia, dar preferência a alimentos cozinhados e evitar estar em contacto com pessoas que tenham doenças contagiosas como constipação, por exemplo. A febre é um dos sinais mais importantes de infeção, veja a sua temperatura regularmente.
  • Inflamação das mucosas e membranas (mucosite)– algumas pessoas, perante a quimioterapia, desenvolvem uma inflamação generalizada das mucosas da boca, garganta, intestino ou órgãos genitais. Os sinais deste tipo de inflamação são a vermelhidão (rubor), ardência e pequenas feridas (úlceras). Este tipo de reação é mais frequente na primeira semana de tratamento. Para minimizar estes efeitos evite alimentos ácidos e duros, evite gorduras e picantes e faça uma boa higiene destas regiões.

 


Este texto foi revisto e atualizado em outubro de 2014‏‏.
Em caso de dúvida o seu médico e a restante equipa de saúde são uma fonte privilegiada para obter informações mais pormenorizadas e adaptadas à sua situação.
A informação disponibilizada pelo ONCO+ pretende ser abrangente, percetível, independente, correta e atualizada e não substitui a informação dos serviços oficiais de saúde.
Para sugestões, dúvidas, ou esclarecimentos adicionais contacte-nos em www.oncomais.pt ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Ajude-nos a melhorar o seu ONCO+